27 setembro 2009

Sorria, você é um produto.


Tenho que admitir que quando vi essa frase num livro de propaganda e marketing, eu também me choquei. Como assim eu sou um produto?
Sim meu amigo, você é um produto, representante de uma marca e imagem. É simples de entender:
-O nome da sua empresa é o que está na sua certidão (se for Adolfo dos Santos, mude isso logo).
-A sua imagem é aquela que você enxerga quando olha no espelho (isso acontece por causa de uma parada lá da física que eu não sei explicar) e a imagem interna (sua personalidade).
-A empresa é você.
Tudo a nossa volta é propaganda, basta você olhar na sua casa. Enquanto você está lendo esse texto, milhões de marcas estão ao seu redor. Quer um exemplo?Qual a marca do seu monitor?Teclado?Gabinete?Multifuncional?Qual provedor de internet você usa?
As marcas fazem parte da nossa vida, você vai ao banheiro da sua tia que mora em Sorocaba e qual a marca da toalha que você enxuga o rosto?TEKA, no almoço, qual refrigerante você toma?Coca-Cola.
É inevitável, vou repetir mais ou menos o que o publicitário/autor Enderson Rafael disse no livro dele: ’’Nós somos consumidos e consumimos todos os dias’’. Bem vindo ao mundo da publicidade.

BY:Ana C.

4 comentários:

Fábio disse...

Legal! Bacana você estar lendo sobre o assunto! A propaganda é um tema muito bacana e controverso, pra não dizer polêmico. Propaganda está em tudo, assim como o marketing (na minha humilde opinião, sempre considerei a propaganda uma perna do marketing). Extinguir não dá. O que tem que ser feito é um uso adequado dela. Eu, particularmente, sou a favor de certa censura nela, como foi feito no caso do cigarro, que foi proibido de veicular na TV. Por mim deveria ser proibido também propagandas dizendo "o melhor" ou "o mais barato", a menos que fosse verdade e a empresa se garantisse, ou fosse passível de indenização por propaganda enganosa.

Naty disse...

Racheei com a imageeeeem xD

Zeh disse...

Bom, o assunto é mesmo muito interessanete, mas eu pensei de outro modo. O você é um produto eu acho que não foi relacionado a voce ser uma empresa, nós sermos a imagem e tudo mais. Acho que o "produto", que ele quis dizer, seria: nós somos manipulados, por empresas, por atitudes, por moda entre outras coisas. A maior parte da sociedade se liga muito no que as outras pessoas pensam e isso ajuda muito. Pelo menos esse foi meu pensamento. Nao entendeu muito beem ? Ouça Atitude - Seminovos.

Beiijo =)

Enderson disse...

Oi, Ana, fiquei lisonjeado com a citação! Muito bom blog o Insulina, por sinal. E vc entendeu o que eu quis dizer, embora ache que o comentário do Zeh é pertinente e demonstra como muita gente se deixa levar por futilidades mesmo. Sad but true. Beijo!