12 abril 2011

Um tiro aqui e dois pra lá.

Um psicótico entra numa escola no Rio de Janeiro e dispara contra crianças dentro de uma sala de aula, depois ele se mata. Se você não mora dentro de uma bolha, provavelmente já escutou falar nesse caso. Pois bem, não preciso entrar em detalhes sobre isso. A mídia já está falando o suficiente.

Hoje eu escutei no radio que devido à chacina na escola, querem antecipar a campanha a favor do desarmamento. Eu estou até agora tentando associar a arma ao fato ocorrido. Tudo bem, eu sei que o assassino utilizou duas pistolas, mas, as coisas menos importante nesse fato foram às pistolas. Ele poderia ter entrado portando arma branca ou explosivos.

É muito fácil você pegar um caso isolado, fazer uma puta campanha publicitária em cima dele e colocar a culpa nas armas. O cara era maluco, a escola não tinha segurança, ele era um monstro... Existem inúmeras explicações para esse caso. Agora querer desarmar a população por causa disso não é solução para porra nenhuma.

Nós moramos no Brasil. Aqui existe a política do ‘’jeitinho’’. Tudo bem, a campanha pode desarmar a população, mas, o mercado negro ta ai para isso e quem assistiu o filme O senhor das armas sabe como é ‘’fácil’’ conseguir um fuzil.

O que me revolta é saber que tem gente filha da puta que pega um caso isolado que tem mais a ver com ‘’um maluco no pedaço’’ do que com armas e faz disso o ícone da guerra contra as armas. A maioria dessas pessoas que defendem o desarmamento mora em condomínios luxuosos com um puta sistema de segurança que também utiliza armas. Irônico não?

Armas não matam pessoas. Malucos matam pessoas e a hipocrisia continua reinando.

Ana C.

5 comentários:

Gabriel disse...

Morro do dendê é ruim de invadir

Mizia Nobre disse...

a gnt devia estar acostumado...sempre as atitudes de poucos interferem na vida da massa aqui no Brasil!

Lucano disse...

Para eu, quem usa arma não passa de um fraco.

Célio Falconiere disse...

Armas matam sim, e sou a favor do desarmamento, mas creio que nesse caso deve ser visto a segurança nas escolas,em relação ao mercado negro realmente é ''fácil'' conseguir mas pra q aconteça uma lei q proiba as armas deve haver investimento também contra o mercado negro ou seja não vai rolar, tudo termina em pizza aqui no Brasil mesmo.-.

Érica disse...

Também acho que não adiantaria proibir o armamento, até pq, quanto mais errado, mais o povo faz. Se proibisse, mais gente apareceria armada. Quem realmente quisesse uma arma, conseguiria e faria o que quisesse...
Na verdade, o problema não foi as armas, foi 1º A falta de tratamento dele, por não ter condições mentais que o permitissem viver em sociedade e 2º A falta de segurança na escola. Se bem que, quem iria imaginar que um ex aluno fosse fazer isso? A não ser que psicólogos ficassem de prontidão, tomando conta da expressão de cada um que passasse pelo portão da escola...