30 dezembro 2011

2012....

Esse ano não tem post sobre o final do ano. A única coisa que eu digo é: não crie expectativas. A vida fica melhor assim. Se o mundo não acabar no ano que vem, eu volto aqui e faço um post melhor.

Feliz mês seguinte.

Ana C.

16 dezembro 2011

100 volts por xícara de café

O dia amanhecendo e eu aqui dentro do meu quarto sem dormir. Confesso que a sensação é boa, mas o cansaço começa a me atacar. Meus olhos ficam pesados e começam a arder. É uma sensação que eu posso vencer, afinal é tudo psicológico.

Levanto, pego mais uma xícara de café, é a terceira que em tomo num período de 5 horas. Você deve está se perguntando por que eu estou fazendo isso e eu digo: apenas para testar os meus limites.

São 07h03 da manhã, as pessoas estão acordando e nem penso em ir dormir. Quero aproveitar essa sensação... Dizem que é a mesma coisa que usar drogas só que sem drogas. Vocês entenderam o que eu quis dizer.

O que será que esse dia sem dormir me aguarda?

Ana C.



12 dezembro 2011

Ah, O amor...

Levava uma vida pacata. Nada de muitas emoções, aliás, emoções não eram o meu forte. Sempre me fiz de durona - em algumas situações - e não era muito de demonstrar o que eu sentia pelas pessoas. Resumia a minha vida entre música, livros, jogos e um punhado de amigos.

Um dia, andando por uma esquina da vida, esse sentimento me encontrou. No começo, eu achei estranho, nunca tinha me sentido daquele jeito ou pensado em coisas do gênero. Foi se intensificando até chegar ao ponto de eu não conseguir guardar ele dentro de mim. Como toda coisa nova, ele começou a mudar o meu jeito de ver a vida. Alguns amigos dizem que eu virei ‘’viado’’ e outros falam que eu fiquei mais sensível e estou melhor assim.

Eu não sei definir o que foi, mas modificou a minha vida. Hoje eu percebo coisas no mundo que antes eu não conseguia enxergar. Mas como tudo na vida, ele teve um lado ruim. Eu nunca me senti tão só e vazia a ponto de querer outra pessoa para me completar. Alguns dizem que nós não devemos procurar a nossa metade em outro alguém... Eu não sei quem está certo nessa discussão, mas eu estou precisando me expandir. Ter alguém para falar bobagens, ir ao cinema, compartilhar a vida, rir, brigar, amar, ler poesia depois do sexo (sim, isso mesmo que você leu), fazer alguém feliz.

Pode ser baboseira dos vinte anos, crise de duas décadas... Vai saber... A única coisa que eu sei agora é que eu não consigo mais voltar para a minha antiga vida. Por mais que eu tente, eu não sou a mesma. A minha estrutura foi abalada.

Não sei como terminar esse texto porque me faltam palavras. Eu tenho tanta coisa para dizer, mas não consigo colocar no papel. É isso... Vou aproveitar essa ‘’ crise’’ porque ainda faltam 20 anos para a crise dos 40.

Ana C.


02 dezembro 2011

Post indie de Dezembro


'' VÍDEO CENSURADO PELA ECAD''

Escolhi o dia de hoje para analisar as palavras não ditas. Sabe, as vezes nós não falamos o que é preciso falar e fica acumulado em nossas mentes igual poeira no canto do móvel. Acredite, isso faz mal, muito mal. Sigo a linha filosófica dos escritores barrocos: a vida é curta, aproveite. O clip dessa música traduz tudo que eu queria dizer para alguém e não consegui por medo de estragar tudo, timidez, sei lá o que... Eu me arrependo disso e não posso consertar, mas vou registrar isso no meu blog. Vida que segue.

Ana C.