12 março 2012

Crônicas do Metrô RJ

Acordar de manhã, tomar café, sair de casa e... Chega a hora triste do dia: encarar o metrô. Não é preciso ser um usuário assíduo para saber que o transporte público no Rio de Janeiro anda mais na merda que paulista nadando no Tietê. Os brasileiros são conhecidos pela política do ‘’tudo se da um jeitinho’’, vivemos a base de gambiarras rotineiras. No metrô não é diferente disso.

Vamos lá, vou descrever para vocês como é utilizar o metrô às 6 horas da manhã:

1- Você mal chega na estação e já enfrenta fila na bilheteria. Não sei o porquê, mas o funcionário da bilheteria faz questão de trabalhar lentamente. Se ele está com sono, eu estou mais ainda. Ainda tem aquelas pessoas que ao invés de conferir o troco ao lado da cabine, ela faz questão de empacar a fila, conta moeda por moeda mais lentamente do que o cara da bilheteria e ainda tem a cara de pau de guardar o dinheiro na frente do caixa. No metrô deveria ter uma placa assim: Animal, por favor: confira o seu troco fora da fila.

2- Depois de passar por esse ‘’pequeno’’ problema na bilheteria, você chega na estação e sabe o que encontra? Uma estação lotada. Parece que jogaram veneno no formigueiro

3- Um pequeno conselho: não fique parado na ponta da estação. Só se você for o super choque ou o Wolverine, se você não for um desses, vai virar churrasco antes que o final de semana chegue. Eu digo isso porque tem sempre aquela pessoa que fica na ponta da estação e por um erro do destino alguém pode esbarrar nele e esse individuo virar carne seca nos trilhos e ainda por cima atrasar todo mundo que tem que ir trabalhar ou estudar. Então meu amigo, respeite A PORRA DA FAIXA AMARELA, GRATA;). Se você quiser cometer suicídio a UERJ está disponível para isso

4- Depois que você consegue embarcar no trem e acha que os seus problemas acabaram e que você vai seguir a sua viagem feliz.... Você está enganado. No vagão, você precisa enfrentar um mar de gente para entrar e ainda torce para conseguir segurar no ferro, afinal, você não está na corda do caranguejo da Claudia Leitte para ficar de um lado para o outro no vagão. Sim, lá tem gente feia, fedida mas não é uma Micareta. Outra coisa que eu não entendo: Por que as pessoas não tomam banho de manhã? É o principal que todos deveriam fazer, tem gente que pensa que é o ninguém José do Los Hermanos e acordam já deitados #piadafail. Ah, esquece a ideia de tentar ir sentado. Você não vai conseguir.

5- Uma dica: fique sempre do lado da porta que abre menos frequência.

6- Se você for uma mulher: não entre no vagão das mulheres... Vai por mim, a não ser que você queira chegar em casa com dor de cabeça provocada pela falação delas.

Não tenho mais o que falar sobre o metrô. De repente eu apareça com mais dicas por ai.

Ana C.

6 comentários:

Daniel C. disse...

Arrume um grupo de pessoas 500~4000 e proteste bastante, se não funcionar, vá para politica e engane a todos ganahndo 26,000 por mes. o/

Luíza disse...

Metrô pra mim é guerra. Adoraria ver uma análise científica do comportamento carioca no metrô. É cada um por si. O mais forte sobrevive e segura no ferro. O mais fraco fica esmagado ou nem consegue entrar.
Eu ODEIO o metrô!! Fico tão puta que começo a ter pensamentos homicidas em relação aos nossos companheiros de governo =) hahahahahahaha
O pessoal não tem educação, não tá nem aí se está com a bolsa enfiada na sua cara.
E por favor, tomem banho de manhã e usem desodorante. Vamos tornar o ambiente pelo menos agradável de se respirar. Quando dá pra respirar, um calor do cão!
Você esqueceu de falar como os ar-condicionados ventilam bem. >.<

Célio Falconiere disse...

TENSO

Au Revoir disse...

Nos ônibus, eles enfiam todas as milhares de pessoas que não conseguiram entrar no metrô. Eu mal consigo sair quando chego na faculdade e todo mundo te olha de cara feia, nunca sei se é porque eu tô esbarrando pra passar ou se é pq tô demorando a sair.

Reinaldo B disse...

Realmente está triste, tudo, trem, ônibus, metrô e barcas também e os fdp que poderiam ajudar a população multando as essas empresas pelas diversas infrações acabam dando mais um c..ão de tempo de concessão. Só vai mudar quando essas sardinhas resolverem viver fora da lata, nós já sabemos o que deve ser feito, porém somos minoria e algumas vezes ainda somos julgados como malucos e acaba que os demais se conformam em reclamar ali e esbravejar, destruir uma lixeira e depois voltar a ser sardinha.

Julio Moreira {...~φL...} - O Grande Desafio!!! disse...

Temos que aprender a aparatar e desaparatar! Porque táh foda!