19 agosto 2012

Notas em um rodapé.

Ando com O vento, por ai, sem saber ao certo para onde vou. Mudo de acordo com a velocidade que ele bate em meu corpo. Por que continuar sempre com a mesma rotina se essa vida é passageira? Viver presa em amarras, prisões, nunca foi o certo para mim. As minhas ideias mudam o tempo todo, sou a personificação da metamorfose ambulante de Rauzito. Passo por ai como o vento, vivo a minha vida como ele. Algumas pessoas me criticam por ser assim, mas afinal, o que seria a nossa vida se não um pequeno sopro? Quando você para e analisa, ela já terá acabado.

Para ler escutando:




Ana C.

06 agosto 2012

White Album


Você estava sentada no tapete da sala, apenas de calcinha e sutiã, cabelo curto, escuro, alargador, fumando um cigarro e mexendo nos meus discos. Depois de um tempo você escolheu o White album dos Beatles. John e sua banda começaram a cantar, o som ecoava pela sala, o sol entrava pela janela e você dançava no tapete.
Observando tudo aquilo do corredor, percebi que tinha dormido com uma deusa grega, eu tive sorte desta vez. Cheguei por trás de você, coloquei as mãos na sua cintura, lhe dei um beijo, deitamos no tapete e começamos a relembrar a noite passada.

Ana C.

Para ler escutando:

01 agosto 2012

Um dia

A fumaça saia suavemente da minha xícara. Um café negro misturado em algumas gramas de açúcar. O dia já estava amanhecendo, acendi um cigarro e olhei pela janela. A vida estava voltando para as ruas. A luz do sol batia no asfalto e esse fenômeno fazia com que a vida noturna fugisse para os becos.
Comecei a planejar o meu dia, tinha várias coisas para fazer e a vontade de executar era mínima. Não durmo direito há algumas noites e agora estou me sentindo como um zumbi.
É... acho melhor ir buscar outra xícara.


Ana C.