18 setembro 2012

I walk alone.

 '' The times they are a- changin'' era o que ecoava dos meus fones na voz rouca de Dylan. Como um Mr. Tambourine Man sem rumo, sem sono e sem nenhum lugar para ir, seguia por mais uma caminhada ao sul de lugar nenhum. Conseguia alcançar a paz espiritual a cada novo passo, era como provar um pedaço do paraíso. Não me importava o rumo que eu estava tomando ou quem passava por mim no caminho, apenas queria seguir aquela estrada sem rumo e simplesmente esquecer de tudo que me sufocava.

 Não sou o tipo de pessoa que gosta de encher os outros com os meus problemas. Ninguém é um mural das lamentações e  um drama exagerado digno de uma Paola Bracho não faz o meu tipo. Deve ser por isso que eu escrevo, em poucas linhas consigo sintetizar o que está escondido por trás da sombra de um sorriso.

Cheguei à conclusão de que estou destinada a seguir só por essa vida- sim, nos meus textos eu tenho o direito de fazer drama- porque esse é o meu estado de espírito atual: alone.  Acho que sempre irei caminhar por essa estrada vazia dos sonhos destruídos e minha única companheira será a minha sombra. As vezes eu apenas desejo que alguém me encontre e me faça mudar de rumo... enquanto isso não acontecer eu irei andar por ai, caminhar no sul de lugar nenhum.


Ana C.


Para ler escutando:

2 comentários:

Luíza disse...

Também vou caminhando ):

Célio Falconiere disse...

Somos 3 alones então.