23 setembro 2012


Nós aqui andamos com os corações na mão e esperamos que algum dia alguém cuide dele
Nós que aqui vivemos catando os seus cacos do chão
Sempre acreditando que da próxima vez irá dar certo
Desejando afeto e não só desejo de atenção
Somos sonhadores
Acreditamos no Amor
Amor, esse que só provoca as nossas chagas
Nós cegos sonhadores
Trovadores solitários da estrada da afeição
Até quando suportar isso?
Até quando viver acreditando que uma hora nossos corações não serão pisoteados, destruídos?
Até quando ser deixado de lado?
Até quando depositaremos as esperanças nas pessoas erradas?
Até quando...
Somos sonhadores, trovadores, poetas, amantes e sofredores
Somos, apenas... somos
E mais nada importa.

Ana C .




Para ler escutando:

A white blank page and a swelling rage, rage
You did not think when you sent me to the brink, to the brink
You desired my attention but denied my affections, my affections

So tell me now where was my fault, in loving you with my whole heart?
Oh tell me now where was my fault, in loving you with my whole heart?


3 comentários:

Célio Falconiere disse...

Estamos emotivos demais nessa madrugada, vou recorrer a minha playlist Tarja preta.

Érica A. disse...

Imagino Drummond com lágrimas nos olhos agora. *-*

Ingrid disse...

Texto lindo!

Toda alma poética sofre em dobro por um amor perdido. Mas acredite nada é vão.