20 novembro 2012

Quando eu acendi um incenso e escrevi filosofia.

Conviver com o outro é sair do seu mundo e se aventurar em um lugar desconhecido. No começo, pode ser complicado, mas com um pouco de paciência você irá conhecer quase todo o território. A melhor maneira de começar a exploração é utilizar a paciência, ela será a sua proteção nos dias difíceis. Mais a frente na caminhada, você irá precisar da compreensão, nem sempre você irá saber tudo que está presente no terreno e algumas vezes pode cair em armadilhas. Caso isso aconteça, você irá precisar do tempo, que tal arrumar um relógio? Depois de alguns dias ou meses, você pode não compreender totalmente o novo mundo, irá estar machucado, confuso... Mas o que vale é a aventura. Tente sempre pensar: ainda não fazem pessoas de algodão.
Ana C.

Para ler escutando:

17 novembro 2012

Come on baby light my fire


Cabelo
Marca de batom
Arranhões
Coxas
Dedos
Suor
Gemidos
O frio lá fora
O calor dentro de nós e no quarto
Lençol
Cama
Na vitrola The Doors
Drogas 
Apenas uma noite mas a melhor noite da minha vida

Ana C.
Para ler escutando:

11 novembro 2012

On the road.





Me joguei na vida
Deixei tudo para trás
Conforto, amigos, amores, família
Estava me sentindo sufocada dentro de minha própria vida
Um inferno astral sem fim
Desiludida, deixei de acreditar no que me falavam
Apenas palavras vazias que não iriam me ajudar
Com apenas R$60 no bolso e um copo de café
Comecei a caminhar, sem rumo, sem pensar em nada
Parecia que cada pedaço meu estava se renovando
Trocando de pele
Mas ainda não me sentia segura para sair do meu casco
Acho que nunca mais irei sair dele
Não superei os traumas que passei
Em cada pessoa vejo uma nova possibilidade de me foder de novo
Sei que isso é errado mas talvez um dia melhore
Enquanto isso... On the road.


Ana C.

Para ler escutando:

06 novembro 2012

No Happiness

Queria ter uma máquina para poder consertar todos os meus amigos. Se pudesse, colocaria cada um deles lá dentro e eles só iriam sair de lá depois que cada ferida fosse curada. No início, eles poderiam ter medo  mas no final iriam ver que o procedimento valeu a pena. Acho que o planeta Melancolia chegou derrubando a todos, pior que o furacão Sandy nos Estados Unidos. De repente, todo mundo ficou triste e eu não posso fazer nada para ajudar, apenas deixar o meu ombro para eles chorarem enquanto descansam a cabeça para a próxima batalha. Não sei em qual lugar a nossa alegria foi perdida mas ela está precisando voltar, não quero mais ver  tristeza nos olhos daqueles que eu amo. Peço desculpas a vocês por não ter uma fórmula que resolva todos os problemas, o máximo que eu posso fazer é dizer algumas frases clichês e sábias palavras adquiridas de duras experiências nesses 21 fucking years old. Quer saber? No final, nós iremos sobreviver a tudo isso, nossa armadura será melhorada e iremos esbarrar com a alegria em alguma mesa de bar da Lapa.

Ana C.

03 novembro 2012

65 dias com ela


Sou poesia
Sou poeta
Sou...porque te encontrei
Antes, era apenas um trecho qualquer de um poema inacabado de Vinícius 
Agora eu sou amor
Mesmo que não seja teu
Minha essência é essa
Aliás, sua presença me fez sair do vazio existencial
Me mostrou o lado boêmio da vida
Arrebentei as cordas do violão
Mudei de tom
Vivi como um personagem das crônicas de Bukowski
Sambei com Amelia pelas ruas da Lapa
Me machuquei
Me revoltei
Tive sentimentos contraditórios
Amor e raiva
Alegria e tristeza
Você é uma pessoa agridoce
Não é comum
É única
E importante para mim, mesmo que eu não a tenha da forma que quero
Afinal, para que essa possessividade toda ?
As pessoas são livres 
E você está comigo por querer
Iremos seguir nessa estrada por pelo menos 203 estações do metrô
Entre tapas e ofensas 
Risos e empurrões
Somos assim e isso é bom
Sem rótulos
Sem fim
Como esse poema

Ana C.

Para ler escutando: