28 dezembro 2012

Um poema que não é sobre o amor


Acho que hoje chove
O céu está ficando escuro
E o vento está mais forte
Acho que hoje chove
Chove para limpar a alma do mundo
Acho que hoje chove
E depois da tempestade
Um novo dia irá chegar
Boas novas em ritmo de bossa nova
Pois é, acho que hoje chove

Ana C.

Para ler escutado:

25 dezembro 2012

O chão vai tremer e o seu cu também

Já é natal na Leader Magazine, sua vizinha já cantou parabéns para Jesus e colocou Simone- Então é natal para tocar. Aproveitando esse clima natalino, o aniversário do nosso amigo Jesus Cristo- o primeiro comunista da face da Terra- eu fui analisar a letra da banda evangélica Toque no Altar- O chão vai tremer e fiquei com medo do Deus deles. Vamos a análise:

1- O chão vai tremer. Que porra é essa? Terremoto? Os asiáticos não curtiram isso. Imagina, você está andando na rua e o chão começa a tremer. Prédios irão cair, crateras serão abertas  nas ruas e tudo ficará um caos. Ou seja, devemos desconfiar da vinda desse Deus. Já estou com medo.


2- A descrição de Deus na canção: Ele vem cavalgando nos montes com seus pés de latão reluzente. Homem de Ferro é você? Ele tem os olhos de chama, voz de trovão e uma espada AFIADA de dois gumes. Ok crianças, run to the hills porque deu merda. Deus não é aquele cara bonzinho de barba branca que você imaginou ser. Esse é o papai Noel. Ele tem 7 espíritos atrás dele, seria um necromante? E ainda fecha portas que ninguém abre e abre portas que ninguém consegue fechar depois, privacidade pra que né?

3- Além disso, o céu vai se abrir e anjos irão subir e descer. Vai virar a maior zona. Um Deus que parece o Sauron está vindo com 7 espíritos, abrindo portas, o chão tremendo, seres celestiais descendo e subindo... Ou seja, FIM DO MUNDO.


4- Uma imagem de Deus que está na descrição da música:

5- Eu não quero que Deus venha porque vai ser a destruição do mundo. Gente, preparem o abrigo de vocês e se arrependam dos seus pecados porque Deus ta puta revolts. Fodeu galera, agora tenho que ir porque o chão começou a tremer.

Ana C. 
Para provar que eu não estou mentindo, para ler escutando:


22 dezembro 2012

Quando o lobo matou o cordeiro de Troia

Todo cuidado do mundo 
Quando o cordeiro mostra a sua face de lobo
A inocência deve ser deixada de lado porque a  vida é uma guerra
Precisamos manter sempre a atenção e desconfiar de quase tudo
Elis Regina estava certa quando disse: Cuidado meu bem, há perigo na esquina
Não acreditei nela
Tive que enfrentar o falso cordeiro
As máscaras caíram 
Falsidade e esperteza foram postas na mesa
Meu destino foi traçado e eu descobri em quem poderia confiar
A criança que existia em mim teve que ser sacrificada
Agora estou calejada pela vida e sei que o homem é o lobo do homem
Se você leu estes versos até o fim, um conselho: todo cuidado com o falso cordeiro.

Ana C.
Mantenha sempre a lamina da sua espada afiada.

Para ler escutando:





20 dezembro 2012

Depois da tempestade: Conversada dadaísta parte 2


Sobrevivente 1: Traz um Big Mac?

Sobrevivente 2: Sim e vamos rir porque estamos precisando.

Sobrevivente 1: Porque eu não ando muito afim de chorar minhas angustias não.

Sobrevivente 2: Um dia você acorda e percebe que tristeza não serve de nada. Gente triste é um pé no saco. Tem que levantar o corpo do chão, sacudir a poeira e voltar a sambar na sociedade.

Sobrevivente 1:Sim, exatamente assim. Sua tristeza não vai fazer as coisas mudarem. Só vai fazer você ficar perdendo tempo no drama.

Sobrevivente 2: Alegria, Alegria. Como diria Caetano.

Sobrevivente 2: Sabe, você pode ficar triste mas não pode deixar isso tomar conta de você.

Sobrevivente 1:Eu sei. Eu tinha deixado isso me dominar e fiquei com medo de enlouquecer mas depois você leva tudo ao limite e as coisas melhoram.

Sobrevivente 2: A vida continua uma merda mas a gente vai tentar viver essa merda da melhor forma possível.

Sobrevivente 1: A vida sempre foi uma merda mas a graça é cair na merda e rir disso, cara. Imagina, jogar merda no amiguinho e rir da cara dele. A graça é rir porque ta na merda.

Sobrevivente 2: Dizem que é sorte pisar na merda né?

Sobrevivente 1: Então, eu sou a pessoa mais sortuda do mundo porque vivo na merda. É merda pra todo canto, parece até a tsunami de merda que teve em Niterói.

Sobrevivente 2: Imagina, você ta andando na rua e de repente do nada vem uma onda de merda e bate em você.

Sobrevivente 1:E você é levado pela merda. Risos.

Sobrevivnte 2: O meu óbito seria: Morreu de nojo.

Sobrevivente 1: Eu não sei o que faria se uma onda de merda aparecesse. Acho que iria rir.

Sobrevivente 2: Eu iria sentir nojo antes dela me tocar.

Continuaram comendo normalmente depois dessa conversa escatológica.

Ana C e sobreviventes.
Para ler escutando:


17 dezembro 2012

Diálogo entre duas dadaístas


Sobrevivente 1: Quando você sente que seu mundo ta caindo, o que você faz? O que você faz quando acha que agora todo mundo mente?

Sobrevivente 2: Me isolo.

Sobrevivente 1: E para passar a dor?

Sobrevivente 2: Não tem como passar a dor. Mas se você faz coisas que gosta com quem gosta ameniza.

Sobrevivente 1: Se o mundo acabar dia 21 eu nem iria ligar. Resolveria tudo.

Sobrevivente 2: Eu tava pensando assim também. Se o mundo não acabar eu vou ter mais problemas.

Sobrevivente 1: E vai rolando, rolando, a bola de neve vem vindo e derrubando tudo pelo caminho. No final acaba em explosão de fogos. Dadaísmo as avessas.

Sobrevivente 2: O mundo podia rachar.

Sobrevivente 1: Imagina? Cada um para um lado. Tudo dividido. Espero que o povo filha da puta fique do outro lado e do meu lado só fique quem eu gosto.

Sobrevivente 2: Só que não né? Todo mundo iria cair num buraco de lava vulcânica e queimar

Sobrevivente 1: Ai eu poderia plantar algodão doce porque plantei amor e colhi tristeza. Vai entender.

Sobrevivente 2:E aquele lance de colher o que plantamos?

Sobrevivente 1: Não sei onde fica. Acho que vou viver até os 27 anos se o mundo não acabar. Com 27 eu desço do mundo.

Sobrevivente 2: Não adianta você ser bom, ninguém se importa. Sempre o outro vai ter a chance e você nunca.

Sobrevivente 1:Traz a cerveja. Beber cura as dores por um tempo. Acho que vou passar o tempo todo bêbada.

Sobrevivente 2: Se o inferno é você ficar presa num lugar todo branco com todas as coisas/pessoas/situações que você evitou encarar durante a vida? E só sai de lá quando resolver tudo. Imagina! É tipo ficar preso com todos os seus fantasmas, tudo o que doí. Será que o inferno é isso? Eu teria medo.

Sobrevivente 1: Não sei. Acho que o inferno é onde nós vivemos. Por mim pode tudo virar bosta. Tudo. Vão dizer que nossa conversa é pessimista.

Sobrevivente 2: Sim, todos só dizem que eu sou pessimista ultimamente.

Sobrevivente 1: O problema é que as pessoas vivem na ilusão. Nós encaramos a realidade de frente. Tem que ter coragem para isso. Podem dizer que eu enlouqueci. Eu não enlouqueci, eu plantei amor e colhi dor, simples assim. Antes tivesse plantado maconha.

Sobrevivente 2:Agora além de maconha você estaria rica porque maconha ta cara a beça.

Sobrevivente 1: E anestesiada.

Soltaram a velha risada dadaísta e continuaram o caminho.


Ana C e sobreviventes.

Para ler escutando:

12 dezembro 2012

Café com Rivotrill.

Ontem a noite me disseram que eu estou maluca, paranoica, surtada... Se ser louco é levar todos os sentimentos ao limite, sim, então eu enlouqueci. Acordei de manhã e contaminei o meu café com vinte gotas de Rivotrill. Se é para ser louco que seja com classe. Agora estou esperando alguém me levar para o Rehab. Nesse momento, estou presenciando a alegria dos desesperados, aquela que só aparece para quem já não liga para mais nada, simplesmente deixa tudo fluir e seguir como deve no ritmo do Universo. Acredito que todos deveriam experimentar esse meu estado de loucura porque é algo libertador. Um belo dia você acorda e decide passar de todos os seus limites, quebrando as barreiras e deixando de lado uma vida de medos que poderia te levar para algo pior que a loucura. Agora sou eremita, vou vivendo por ai e deixando as coisas acontecerem, não me preocupo  mais com nada. Vou mostrando como eu sou e vou sendo como posso... Quem sabe um dia eu consiga descobrir o que seriam aqueles vestidos de luneta dos Novos Baianos.

Ana C. A louca.

Para ler escutando:

02 dezembro 2012

Um título importante para você clicar


Não
Tenho
Nada
Para escrever
Queria
Apenas
Mostrar
O Layout
Novo do blog
Escrevi assim para parecer chique
E para você achar que é algo importante
Pois é, boa noite.

Ana C.

Para ler escutando: