31 janeiro 2013

Mr Nobody

Sobrevivente 1: Amar é complicado não é?

Sobrevivente 2: Pois é, eu era mais feliz quando não sabia o que era amar.

Sobrevivente 1: Por que? 

Sobrevivente 2: Eu levava uma vida sossegada, gostava de sombra e água fresca.

Sobrevivente 1: O amor não é bom quando amamos quem não valoriza o nosso amor. Não importa o que você faça, o seu amor nunca será suficiente. É como se todos os outros amores servissem, menos o seu. É ruim isso não é? Parece que você é um et ou algo do tipo. Ou que você nunca será amado, deixa um vazio horrível na gente. As vezes é insuportável isso. Parece que eu vou sucumbir dentro do meu próprio amor. Dizem que sou diferente porque parece que eu sai de um livro mas isso nunca me ajudou nesses assuntos.

Sobrevivente 2: Deveras, compatriota. O que podemos fazer quando isso acontece? Ninguém sabe ao certo mas costumo deixar tudo para trás, let it be. Procure um novo rumo e tudo se resolve. Quem sabe você não encontra alguém que possa preencher o amor que você não tem? Pensamento positivo ou uma dose de Tequila.

Sobrevivente 1: Mas é ruim enquanto isso não acontece. Você fica com essa sensação de ser um cachorro de rua, abandonado, sem ninguém que goste de você da forma que você é... Complicada a vida. Parece que nunca irei dançar com um par essa valsinha do amor. Estarei sempre no bloco do eu sozinho.

Sobrevivente 2: Não pense desse jeito, existe sempre um lado bom em tudo. Para cada amor rejeitado existe um próximo na esquina, basta esquecer o anterior ou afoga-lo numa dose de Vodka. 

Sobrevivente 1: Ainda não tentei. Que tal você jogar uma pedra na minha cabeça? Assim poderei começar a minha nova vida sem lembranças. Sem dores, sem vazio e solidão.

Sobrevivente 2: Tem certeza, compatriota? Pode ser arriscado,  podes morrer.

Sobrevivente 1: Não ligo, eu não tenho medo de morrer. 

Sobrevivente 2: Ok, vamos lá.

Após o lance da pedra.

Sobrevivente 2: E ai? Você lembra de alguma coisa?

Sobrevivente 1: Lembro, não funcionou nada. Isso apenas me deixou com uma puta dor de cabeça. 

Sobrevivente 2: Eu te avisei. Apenas uma coisa chamada tempo consegue curar tudo o que nos incomoda. Deixe o tempo agir, apenas isso. Quer um café?

Sobrevivente 1: Quero.

Sobreviventes e Ana C.

Para ler escutando:

2 comentários:

Érica A. disse...

Pela milésima sétima vez, "E viveram felizes para sempre!"

Célio Falconiere disse...

*erguendo mais um copo de vodka* E viva a bosta do amor! saúde!