26 julho 2013

Odara

De repente veio uma batida mágica
Como um ritmo de baixo
Na coreografia dos querubins 
Meu corpo e o Universo
Eram um só
A sinfonia de Deus, se ele existir
A liberdade
Longe de tudo isso
Contas não existem mais
Nem responsabilidades
Lá de cima
Tudo era Odara
Explosão mental
Várias cores dominaram minha mente
Liberdade, finalmente chegou

Ana C.

Para ler escutando:

Um comentário:

Érica A. disse...

Poesia em dias chuvosos.