12 agosto 2014

Insustentável leveza do não ser


 É, moça
O céu borrou a cor 
Lá está de volta a escala de cinza que tanto me assusta
O café esfriou e os dias voltaram a ser iguais
A melancolia já está me aguardando naquela velha praça
Talvez, moça
Eu tenha voltado a ser o zé que acorda já deitado
Aquele mesmo zé ninguém que não sabe lidar com a vida
Quem sabe, moça
Já não esteja na hora de partir
Destruir
Descobrir
Reconstruir 

Ana C.

Para ler escutando: