14 julho 2015

They call me hell



Quando a tempestade começar
E nelas surgirem os trovões 
Significa que estou chegando 
Para gritar nos seus ouvidos
Aquilo que você ignora em si.
As suas projeções em mim
Seus pensamentos mais sujos
E medos mais sinceros.
Eu sou a tempestade
Que vem para destruir
O que não é verdadeiro.
Estou no vento que bate na janela 
Sussurrando aquilo que você não quer escutar
Estou nos trovões que fazem a terra tremer e seus ouvidos sangrarem.
Vejo você ficar acuado
Num canto escuro 
Todas as vezes que minha tempestade começa
Foge de mim 
Porque sou um espelho para ti
Foge porque é o Dorian Gray 
Que no espelho não pode olhar
Foge porque meu nome é Inferno.

Ana C.

06 junho 2015

My name is Lucifer



Tolos são aqueles que acreditam ser totalmente bons 
O ser humano é dual
Somos médico e monstro
Luz e trevas
Yin-yang
A mão que afaga e apedreja.
Pobres tolos são aqueles que projetam para os outros
Os seus demônios
É mais fácil inventarmos um inimigo imaginário no outro
Do que apertarmos as mãos e o reconhecer como nosso igual.
Quando apontamos o dedo para os erros alheio e julgamos, como se fossemos superiores
Estamos sendo tolos, muito tolos
Porque enquanto isso, nossos demônios se escondem nas sombras e crescem
Nossos erros crescem
E um falso ego infla
Ah... muito tolos são aquele que renegam que todos somos sujos
Todos possuímos segredos que guardamos a sete chaves.
Todos nós carregamos o bem e o mal.
Por isso, somos humanos.
Fugir disso é ser tolo
Muito tolo...

Ana C.

12 março 2015

Pessoas + problemas= misantropia


Longe das pessoas
Longe dos problemas 
Pessoas falam demais
E sentem de menos 
Estão sempre querendo ser melhor do que o outro
Uma eterna competição de egos inflados 
Uma verdadeira histeria sem fim
Longe das pessoas 
Estou longe dos problemas 
Estou em paz
Sartre estava certo: o inferno são os outros 

Ana C.

09 março 2015

O poeta é um fingidor



Escrevo para libertar a minha alma das dores que sufocam o meu ser
Escrevo, pois acredito que os golpes de tinta no papel podem me salvar da loucura
Escrevo por não ter saída
Por não saber lidar com a vida
Escrevo para registrar a minha existência nas paredes do tempo
Essa existência cheia de cicatrizes e algumas alegria 
Escrevo por ser poeta
E o poeta brinca com as palavras por enxergar a vida com mais intensidade
Escrevo para me salvar
Escrevo...

Ana C.

06 março 2015

Ao se apaixonar beba vodka


Laços que desatam  em palavras não ditas
Que viram  nó na garganta 
Afetos e desafetos entre um café com açúcar  e outro amargo 

Ana C.

01 fevereiro 2015

Uma linha torta nas paralelas da vida


Latas vazias de cerveja
Poeira pelos cantos
Uma xícara de café ao lado
Esses objetos ilustram a minha vida
Ilustram a minha alma
Minha essência 
Minha vida desregrada 
Marginal 
Sem princípios éticos 
Sem seguir as placas
E os manuais de conduta para a convivência humana 

Tenho uma dinamite dentro de mim
Ela implode e na maioria das vezes explode

Atinge quem estiver por perto
Sem fazer distinção 
Não sou uma pessoa amável
Faço parte do lado negro da força
Não tem muito o que se fazer
Eu sou assim
Assim
Uma linha torta nas paralelas da vida

Ana C.

06 janeiro 2015

aNORMal



Eu 
E
Aquela 
Velha 
Sensação
De
Não
Pertencimento
Ao
Mundo
Quando se nasce com algo errado
As estruturas não são as corretas
As do senso comum
Q-ua-ndo  se nasce assim
Nada parece fazer sentido para os outros
Muito menos para você
O
Melhor
A
Se
Fazer
É
Simplesmente
Não 
Ligar
Afinal, por que viver dentro das estruturas corretas da vida? o que é ser correto? Pra mim, isso nunca será possível.

Então
Ficarei
Assim
Anormal
Dentro
De
Mim
Até 
Fim
Talvez
Um
Dia
As pessoas também derrubem suas estruturas
Fiquem 
Assim
Como
Eu

Ana C.