01 fevereiro 2015

Uma linha torta nas paralelas da vida


Latas vazias de cerveja
Poeira pelos cantos
Uma xícara de café ao lado
Esses objetos ilustram a minha vida
Ilustram a minha alma
Minha essência 
Minha vida desregrada 
Marginal 
Sem princípios éticos 
Sem seguir as placas
E os manuais de conduta para a convivência humana 

Tenho uma dinamite dentro de mim
Ela implode e na maioria das vezes explode

Atinge quem estiver por perto
Sem fazer distinção 
Não sou uma pessoa amável
Faço parte do lado negro da força
Não tem muito o que se fazer
Eu sou assim
Assim
Uma linha torta nas paralelas da vida

Ana C.

Nenhum comentário: